Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SANTO ANDRE, Mulher, jogadora de basquete - email: vivian88@uol.com.br

Histórico
03/07/2005 a 09/07/2005
15/05/2005 a 21/05/2005
17/04/2005 a 23/04/2005
08/08/2004 a 14/08/2004
18/07/2004 a 24/07/2004
06/06/2004 a 12/06/2004
30/05/2004 a 05/06/2004
16/05/2004 a 22/05/2004
09/05/2004 a 15/05/2004


Outros sites
CBB
FPB
Painel do Basquete
Blog do Basquete Feminino
Diário do Grande ABC
Basketballers







MAIS UMA VEZ VÍVIAN É SELEÇÃO!!!

BRASIL ESTRÉIA COM VITÓRIA NO SUl-AMERICANO FEMININO



 Escrito por Vivian basket às 21h57
[] [envie esta mensagem]



VIVIAN AGORA É SÃO CAETANO!

 Após anos defendendo a cidade de Santo André, a jogadora Vivian agora é jogadora do São Caetano, cidade vizinha, no Grande ABC. Para jogadora essa é uma experiência nova, pois até então havia jogado apenas pelo Santo André, além é claro de defender a Seleção Brasileira de Basquete.

VIVIAN AGORA É SÃO CAETANO!



 Escrito por Vivian basket às 10h15
[] [envie esta mensagem]



Brasil olímpico se abriga todo no exterior


Vivian, que deixou o Santo André e se unirá às 11 colegas que disputaram os Jogos de Atenas e agora têm emprego fora do Brasil Luiz Carlos Murauskas/Folha ImagemQuarta força do basquete feminino na última Olimpíada, o Brasil inicia a atual temporada sem nenhuma selecionável no país. É a primeira vez que isso acontece desde a ascensão da seleção feminina como potência internacional, com o título do Mundial-94.
Como a seleção masculina não foi às duas últimas Olimpíadas, o país não terá nenhum olímpico em quadra nesta temporada.
Das 12 atletas que estiveram em ação na Grécia, quatro disputaram o Nacional-04. Porém, após o fim do torneio, houve novas perdas.  A última que deve deixar o país é Vivian, dispensada  do Santo André. Ela já acionou a pivô Cíntia Tuiú, sua colega de seleção, para tentar um clube fora do país. "Pensava em ir para o exterior só mais adiante", lamenta.
O basquete feminino vive em estado terminal há pelo menos quatro anos, com a saída dos principais patrocinadores. No passado, época das estrelas Paula e Hortência, a modalidade atraiu marcas fortes, como Leite Moça, Perdigão, BCN e Nossa Caixa.
"Não sei a razão para a falta de investimentos. Nós temos tido mais resultados internacionais do que o masculino. Acho que é uma questão cultural. O feminino sofre uma certa discriminação do empresariado", opina Antonio Carlos Barbosa, técnico da seleção.
Sem dinheiro em caixa, as mulheres sobreviveram do patrocínio da Unimed, que mantinha Ourinhos e Americana por meio de suas cooperativas locais. Ambas dominaram o basquete nos últimos três anos e foram protagonistas de oito finais em Paulistas, Jogos Abertos e Nacionais.
A situação de penúria se agravou com o fechamento do time adulto do Americana, no começo do mês. A empresa decidiu centrar atenção nas categorias de base e dispensou o elenco que tinha sete atletas com passagem pela seleção: Sílvia, Jacqueline, Lílian, Cristina, Cíntia Luz, Geisa e Ega.
Além de Sílvia, que se apresentou à nova equipe nesta semana, três atletas foram para o exterior.
Cristina está no Extrugaza, e Ega acertou com o Celta, de Vigo, ambos da divisão principal da Espanha. Cíntia, menos afortunada, teve que se contentar com o Adba Santos, da segunda divisão.
Geisa e Lílian ainda não assinaram com nenhuma equipe, mas podem deixar o país. "A Lílian tem proposta da Espanha", informa a agente Karine Baptista.
Por fim, Jacqueline, que se recupera de cirurgia no joelho direito, preferiu continuar em tratamento e não atuar no primeiro semestre.
Até o técnico Paulo Bassul, assistente de Barbosa durante a Olimpíada, deve seguir o mesmo caminho. Ele quer passar dois meses no exterior se reciclando.
"Quero acompanhar treinos do universitário dos EUA e de times de Espanha e Itália", diz Bassul, que ainda não fechou roteiro.
No ano passado, preocupada com um novo fiasco da seleção -a equipe ficara em sétimo lugar no Mundial-02-, a confederação brasileira fez um projeto de repatriamento, pagando salário para as atletas treinarem com a seleção.
A iniciativa foi bem-sucedida, e as principais atletas, como Helen, Janeth e Alessandra, se apresentaram à equipe antecipadamente.
Neste ano, sem nenhum torneio importante, a CBB abortou o programa. O principal evento do calendário será a Copa América, em setembro, que classifica para o Mundial-06. O Brasil já tem vaga no Mundial por ser o país-sede.

PINGUE-PONGUE


"Vou passar por essa", diz Vivian após dispensa 

                                                                                          
 
A conversa parecia rotineira. Não foi. Vivian ouviu da técnica Laís Elena que estava fora do Santo André. Última remanescente das olímpicas no país, Vivian, 29, jogava no time do ABC havia 14 anos. A treinadora evita polêmica. "A Vivian merecia ganhar mais. Nossa verba é limitada." 


 Você ficou surpresa com a dispensa da equipe?
Vivian - Fiquei. Às vezes queria sair, mas como gosto do Santo André acabava ficando. Estou aqui desde os 15 anos. A Arilza [Coraça, assistente de Laís Elena] me trouxe quando estava machucada e sempre me apoiou. Considero ela como parte da família. Tenho muita afinidade com ela. Não com a Laís. Mas já enfrentei muitas dificuldades na carreira. Vou passar por essa.


 Quais?
Vivian - Fiz seis cirurgias nos joelhos. Fiquei no total uns seis ou sete anos parada por causa disso. Se eu consegui voltar a jogar foi porque Deus sempre colocou as pessoas certas no meu caminho.


 Quais são seus planos para esta temporada?
Vivian - Só deu tempo de arrumar as malas. Vou deixar o apartamento, que é alugado pelo clube. Tinha recebido proposta da Europa. Não gostaria de deixar o país por causa da família, mas agora é uma opção.


 Escrito por Vivian basket às 18h57
[] [envie esta mensagem]



VIVIAN EM ATENAS!

"Acho que estamos preparadas para pensar alto. Meu pensamento está voltado para buscar a medalha de ouro !"

 Escrito por Vivian basket às 11h59
[] [envie esta mensagem]



VIVIAN UM EXEMPLO DE SUPERAÇÃO


Aos 28 anos, a ala/armadora Vívian vai disputar sua primeira Olimpíada. A conquista dessa vaga para representar o país em Atenas tem para a atleta um sabor especial. Seis cirurgias no joelho, mais as sessões de fisioterapia tiraram Vivian das quadras por quase sete anos. Por causa de todo o tempo perdido, foi convocada para a seleção brasileira pela primeira vez em 2001, para o Sul-Americano do Peru. Vívian se dedica aos treinos com garra e alegria para ajudar a equipe brasileira a conquistar a terceira medalha olímpica. Pela seleção brasileira, Vívian foi bicampeã do sul-americano (Peru/2001 e Equador/2003), campeã da Copa América (2001), medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo (2003) e campeã do Pré-Olímpico do México, que garantiu ao Brasil a única vaga das Américas para a Olimpíada de Atenas. No Santo André, clube que defende há 14 anos, a atleta foi, em 1999, campeã do Nacional Feminino e do Sul-Americano de Clubes.
Veja também
11/07/2004
 Sílvia Cristina
01/07/2004
 Valtinho
23/06/2004
 Kelly
mais >>  

Qual a emoção de disputar uma Olimpíada?

É gratificante ter essa oportunidade. É o auge para um atleta representar seu país em uma Olimpíada. Estou super feliz. Mas não dá nem para pensar muito nisso, pois estou totalmente concentrada nos treinamentos para os Jogos. Nunca estive tão focada em um objetivo em toda minha vida. Me dedico inteiramente a esse momento tão especial da minha carreira.

O que esperar da jogadora Vívian em Atenas?

Uma atleta dedicada, que vai fazer o que for possível para ajudar a equipe dentro e fora da quadra e disposta a aprender. Eu procuro sempre ouvir as jogadoras mais experientes, como a Helen e a Adrianinha que me ajudam, dando toques importantes sobre posicionamento, defesa, enfim, como jogar da melhor maneira possível.

E as chances do Brasil na competição?

Acho que estamos preparadas para pensar alto. Meu pensamento está voltado para buscar a medalha de ouro. Até a competição começar, estaremos ainda melhores, em ótimas condições de jogo, com todas as chances de subir ao pódio. As nossas adversárias mais forte são as americanas, russas e australianas.

Quais as expectativas para os amistosos na Grécia?

As melhores possíveis. Com esses jogos, vamos observar melhor as nossas adversárias e adaptar as estratégias de defesa e de ataque para enfrentar os diferentes estilos de basquete. Com isso, vamos melhorar ainda mais, ganhar mais ritmo de jogo e chegar bem preparadas para a estréia contra o Japão no dia 14 de agosto.

Como é a jogadora Vívian?

Gosto muito de marcar, jogar na defesa, mas gosto também de infiltrar. Mas, na seleção brasileira, devido a altura (1,74m) eu tenho que jogar mais aberto e ter um arremesso mais rápido. Sou também comunicativa. Na quadra ou no banco de reservas, vibro muito, chamo a torcida e dou força às minhas companheiras.

Como o basquete entrou em sua vida?

Eu sempre fui muito moleca, super agitada e recomendaram a minha mãe que eu fizesse esporte para liberar energia. Então, com doze anos, fui me inscrever no Centro Olímpico. Na verdade, eu queria fazer vôlei, mas fui com uma amiga que já fazia basquete e resolvi acompanhá-la. Acabei me apaixonando pelo esporte.

Fale um pouco sobre sua trajetória no esporte.

Comecei no Clube Padote, em São Paulo. Com quinze anos, lesionei o joelho e tive que passar por várias cirurgias. Foi quando a técnica Arilza me levou para Santo André. Mesmo machucada, passei a fazer o tratamento lá e fiquei fora das quadras por três anos e meio. Voltei em 1995, com 19 anos, e fui campeã paulista juvenil. Seis meses depois, me machuquei novamente e fiz mais duas cirurgias no joelho.

Qual o segredo de tanta superação?

O amor pelo que eu faço e o apoio que recebi da família, dos amigos e de toda equipe médica que cuidou de mim. Deus colocou no meu caminho as pessoas nas horas certas. Quando pensava em desistir, eles me incentivavam a continuar. Jamais vou esquecer quem me ajudou nesses momentos. As técnicas Arilza e Laís, por exemplo, me levaram para Santo André e fiquei anos sem jogar. Isso é muito raro nos dias de hoje, onde os atletas que se machucam às vezes acabam abandonando a carreira porque não tiveram apoio de seus clubes.

E o momento mais emocionante de sua carreira?

O título do paulista juvenil, que conquistei quando voltei da primeira contusão. Foi emocionante pois consegui ser campeã jogando, trabalhando em quadra. Foi um momento de grande superação para mim. Outro fato marcante foi o meu primeiro título pela seleção adulta, no Sul-Americano de 2001, no Peru.

Deixe uma mensagem para os iniciantes no basquete.

Só consegue superar as dificuldades quem tem muito amor pelo que faz. Se você tem um objetivo, tem que se dedicar e ele do fundo do coração. Às vezes, o caminho é árduo, mas sempre vale a pena lutar pelo que se quer, pois as conquistas ninguém vai conseguir tirar de você.



 Escrito por Vivian basket às 21h39
[] [envie esta mensagem]



SELEÇÃO RUMO A ATENAS!

Nove das 17 jogadoras da seleção brasileira adulta feminina de basquete, patrocinada pela Eletrobrás, realizaram nesta terça-feira os exames fisiológicos no CEMAFE, em São Paulo: Adrianinha, Alessandra, Erika, Helen, Karla, Kelly, Leila, Vivian e Zaine. As jogadoras que estão na final do Campeonato Paulista (Cintia Tuiú, Ega, Jacqueline, Janeth, Lilian e Silvia Cristina) e a ala Iziane farão os exames nos dias 14 e 15 de junho. A ala Micaela tem sua chegada prevista ao Brasil para sábado (dia 5). Na segunda-feira (dia 7), as atletas iniciam os treinos em São Paulo com o técnico Antonio Carlos Barbosa.

— O Brasil tem uma seleção de altíssimo nível e por isso é bastante respeitada no mundo inteiro. A disputa em Atenas será bastante equilibrada. Austrália e Estados Unidos estão um pouco acima mas não são inatingíveis. Temos um tempo bom de treinamento com todo o grupo e vamos aproveitar para nos preparar bem para mais esse desafio. Estamos confiantes na conquista de mais uma medalha olímpica. Depois da Olimpíada, volto para a Itália, onde vou defender o Penta Faenza pelo quarto ano seguido, com chances de ser a capitã da equipe — disse a armadora Adrianinha.

— Foi muito difícil ficar fora dos Jogos de Sydney devido a contusão que sofri em 1999. Ter a oportunidade de ir para Atenas me deixa muito feliz. Meu objetivo é subir ao pódio mais uma vez, já que fui medalha de prata em Atlanta (1996). Para isso, vou me dedicar ao máximo nos treinamentos, fazendo um trabalho específico de preparação, que começa com esses exames, para ficar em totais condições de servir à seleção e fazer um bom trabalho. Esse grupo se conhece bem, dentro e fora das quadras, o que facilita o trabalho do técnico Barbosa e deixa a equipe bem unida em torno de um objetivo comum — explicou a ala/pivô Leila Sobral.

— Estou muito feliz em ter a chance de participar da minha primeira Olimpíada, pois é o desejo de todo atleta. Sonho muito com a medalha e acho que o Brasil tem todas as condições para consegui-la. Apesar de jovem, eu tenho muitos títulos mas nada se compara a estar numa disputa olímpica. Estou realmente nas nuvens. Essa minha alegria e meu bom humor ajuda a relaxar o grupo, que é bastante unido. As mais experientes me ajudam muito na área técnica e acho que com os treinos a equipe só tem a crescer. Joguei o Mundial de Clubes em Americana e fiquei satisfeita com meu desempenho, mas ainda estou um pouco fora de ritmo. Com os treinos, estarei totalmente preparada para os jogos em Atenas. Quanto ao futuro, continuarei na Espanha, no Club Universitari de Barcelona — comentou a pivô Érika.

 Escrito por Vivian basket às 20h27
[] [envie esta mensagem]



SELEÇÃO SE APRESENTA!

 A seleção brasileira adulta feminina de basquete, patrocinada pela Eletrobrás, se apresenta nesta segunda-feira à noite no Hotel Parthenon Stella Veja (rua Salto, nº 70, Jardim Paulistano, no Ibirapura), em São Paulo, para iniciar sua preparação para a Olimpíada de Atenas. Na terça-feira, às 9 horas, as jogadoras realizam exames fisiológicos no CEMAFE (rua Pedro de Toledo nº 338 – Vila Clementina) e na quarta-feira (14h) fazem os exames físicos na Escola de Educação Física da USP. Na segunda-feira (dia 7), as atletas iniciam os treinos em São Paulo com o técnico Antonio Carlos Barbosa.

— Na terça-feira, serão realizados exames fisiológicos para verificar as funções cardíaca e pulmonar das jogadoras e na quarta-feira o grupo fará avaliações física e laboratorial. Com os resultados, a comissão técnica pode elaborar o treinamento específico para cada atleta — explicou Dr. Cesar de Oliveira, médico chefe das seleções brasileiras.

A estréia do Brasil nos Jogos Olímpicos está marcada para o dia 14 de agosto contra o Japão, às 10h45 de Brasília. As brasileiras estão no grupo “A” e terão ainda como adversárias na primeira fase a Grécia (dia 16), Rússia (18), Nigéria (20) e Austrália (22). No grupo “B” estão as seleções dos Estados Unidos, atual campeã olímpica e mundial, Espanha, China, República Tcheca, Coréia do Sul e Nova Zelândia.

AS 17 CONVOCADAS
JOGADORA – POSIÇÃO – IDADE – ALTURA – CLUBE
Adrianinha – Armadora – 25 anos – 1,70m – HS PENTA FAENZA (ITÁLIA)
Alessandra – Pivô – 30 anos – 2,00m – REYER (ITÁLIA)
Cíntia Tuiú – Pivô – 29 anos – 1,93m – BRNO (REPÚBLICA TCHECA)
Érica de Souza – Pivô – 22 anos – 1,97m – CLUB UNIVERSITARI DE BARCELONA (ESPANHA)
Helen Luz – Ala/Armadora – 31 anos – 1,76m – DINAMO NOWSIBIRSK (RUSSIA)
Zaine – Pivô – 26 anos – 1,90m – C.U.S. CHIETI (ITÁLIA)
Iziane – Ala/Armadora – 22 anos – 1,81m – PHOENIX MERCURY (WNBA)
Jacqueline – Armadora – 27 anos – 1,76m – UNIMED/AMERICANA (SP)
Janeth – Ala – 35 anos – 1,82m – UNIMED/OURINHOS (SP)
Karla Cristina – Ala/Armadora – 25 anos – 1,71m – DINAMO NOWSIBIRSK (RÚSSIA)
Kelly – Pivô – 24 anos – 1,92m – C.U.S. CHIETI (ITÁLIA)
Leila Sobral – Ala/Pivô – 29 anos – 1,89m – SÃO PAULO/GUARU (SP)
Lilian – Ala – 25 anos – 1,88m – UNIMED/AMERICANA (SP)
Micaela – Ala – 24 anos – 1,79m – CLUB BASKET JUVENILLI (ITÁLIA)
Sílvia Cristina – Ala/Pivô – 22 anos – 1,83m - UNIMED/AMERICANA (SP)
Ega – Pivô – 26 anos – 1,85m – UNIMED/AMERICANA (SP)
Vívian – Ala/Armadora – 28 anos – 1,74m – SANTO ANDRÉ (SP)

A PROGRAMAÇÃO
31/05 – Apresentação em São Paulo
01 e 02/06 – Exames médicos e físicos em São Paulo.
07 a 11/06 – Treinamento em São Paulo
14/06 a 01/07 – Treinamento em Americana (SP)
04 a 08/07 – Treinamento no Rio de Janeiro
09 a 15/07 – Jogos Desafio Eletrobrás (Brasil x Cuba)
17 e 18/07 – Folga
20 a 24/07 – Treinamento no Rio de Janeiro
29/07 – Viagem para Atenas
01 e 03/08 – Jogos amistoso Brasil x Grécia, em Iraklion/Ilha de Creta
05 a 08/08 – Diamond Ball em Iraklion (Rússia, Austrália, China, Nigéria, Grécia e Brasil)
09/08 – Entrada na Vila Olímpica
10 a 13/08 – Treinamento em Atenas
14/08 – Jogos Olímpicos: Brasil x Japão (10h45 de Brasília)
16/08 – Jogos Olímpicos: Brasil x Grécia (14h)
18/08 – Jogos Olímpicos: Brasil x Rússia (14h)
20/08 – Jogos Olímpicos: Brasil x Nigéria (16h15)
22/08 – Jogos Olímpicos: Brasil x Austrália (8h30)
25/08 – Quartas-de-final (A2 x B3, B1 x A4, B2 x A3 e A1 x B4)
27/08 – Fase Semifinal (vencedores das quartas-de-final)
28/08 – Rodada final (disputa da medalha de bronze e da medalha de ouro)
29/08 – Retorno de Atenas
30/08 – Chegada ao Brasil

 Escrito por Vivian basket às 21h30
[] [envie esta mensagem]



VIVIAN É DESTAQUE

O santo André não resistiu a força da Unimed/Americana e perdeu a primeira partida válida pelas Semi-Finais do Campeonato Paulista de Basquete Feminino. O jogo manteve-se equilibrado até o segundo quarto, em uma noite em que a jogadora Vivian,  única jogadora da equipe do grande ABC a ser convocada para as Olimpíadas de Atenas ( Grécia ) brilhou em quadra. Ela foi a responsável pelo equilibrio do jogo até então. Vivian foi o destaque marcando 27 pontos!



 Escrito por Vivian basket às 10h03
[] [envie esta mensagem]



Seleção Feminina é Convocada para ATENAS!

Atletas da Seleção Feminina 2004
11/5/2004 - Vivian

Vivian Cristina Lopes - Ala/Armadora - 28 anos - 1,74m

O técnico da Seleção Brasileira, Antonio Carlos Barbosa, convocou 17 jogadoras para a disputa das Olimpíadas em Atenas.

A Seleção está no grupo A da Olimpíada, junto com Japão, Grécia, Rússia, Nigéria e Austrália. A equipe estréia no dia 14 de agosto contra o Japão. Depois, pega Grécia (dia 16), Rússia (18), Nigéria (20) e Austrália (22).

Confira as 17 jogadoras convocadas para os Jogos de Atenas:

1-Adrianinha (Armadora) - Penta Faenza (Itália) 2-Alessandra (Pivô) - Reyer (Itália) 3-Cíntia (Pivô) - Brno (Rep. Tcheca) 4-Érica (Pivô) - Universitari de Barcelona (Espanha) 5-Helen (Ala/Armadora) - Dinamo (Rússia) 6-Zaine (Pivô) - Chieti (Itália) 7-Iziane (Ala/Armadora) - Phoenix (EUA) 8-Jacqueline (Armadora) - Americana (SP) 9-Janeth (Ala) - Ourinhos (SP) 10-Karla Cristina (Ala/Armadora) - Dinamo (Rússia) 11-Kelly (Pivô) - Chieti (Itália) 12-Leila (Ala/Pivô) - São Paulo-Guaru (SP) 13-Lilian (Ala) - Americana (SP) 14-Micaela (Ala) - Basket Juvenilli (Itália) 15-Sílvia Cristina (Ala-Pivô) - Americana (SP) 16-Ega (Pivô) - Americana (SP) 17-Vivian (Ala/Armadora) - Santo André (SP).



 Escrito por Vivian basket às 09h13
[] [envie esta mensagem]



Vivian é Convocada e leva o Santo André as Semi-Finais!

Com a vitória conquistada a três segundos do final, o Santo André fechou a série melhor de Três, garantindo uma vaga nas semi-finais do campeonato paulista de basquete feminino. Para ala/armadora Vivian, a vitória teve um gostinho especial. A atleta foi a única da região do ABC convocada para a Seleção Brasileira, e ao lado da armadora Gigi, foi a cestinha da partida com 18 pontos.

"Temos uma equipe jovem, com o elenco reduzido e conseguimos chegar as semi-finais. Quanto a Seleção só tenho a agradecer às minhas companheiras, que me deram condições para que eu chegasse lá" - disse vivian



 Escrito por Vivian basket às 09h07
[] [envie esta mensagem]



MAIS UMA VEZ VIVIAN É DESTAQUE!!!



A primeira rodada da série melhor-de-três do playoff – quartas-de-final seguiu na noite deste sábado (08 de maio) com a vitória da AD Santo André sobre o Databasket/São Bernardo, 71 a 67 (35 a 30 no primeiro tempo), em jogo disputado no ginásio Municipal Pedro Dell’Antonia, na cidade de Santo André (SP).

As principais jogadoras da partida foram Vivian (24 pontos, 03 rebotes e 02 assistências) e Simone (17 pontos, 19 rebotes e 02 assistências – ‘double-double’), pela AD Santo André; Gilmara (17 pontos e 10 rebotes – ‘double-double’) e Juliana (12 pontos, 09 rebotes e 02 assistências), em favor do Databasket/São Bernardo.

O segundo jogo da série melhor-de-três acontece na quarta-feira (12 de maio), às 20h00, em São Bernardo do Campo (SP). Uma vitória coloca a AD Santo André no playoff – semifinal.

VALEU VIVIAN!


 Escrito por Vivian basket às 08h58
[] [envie esta mensagem]



Vivian é a Cestinha!

O Santa Maria/São Caetano pode ter levado a melhor. Mas a cestinha da partida foi a Vivian, marcando 22 pontos para a equipe do Santo André. A nossa estrela brilhou em quadra com roubadas de bola e assistências. Agora a equipe do Santo Andre enfrenta o Databasket/São Bernardo pelos playoffs de quartas-de-final. Os jogos serão disputados em melhor de três.




 Escrito por Vivian basket às 08h57
[] [envie esta mensagem]



A GUERREIRA!

Nome completo: Vivian Cristina Lopes
Posição: ala/armadora
Altura: 1,74m
Peso: 73kg
Data de nascimento: 07/01/1976
Naturalidade: São Paulo (SP)
Clube atual: Santo André (SP)
Clube que começou: Padote (SP)
Clubes em que jogou: Padote (SP) e Santo André (SP)
Principais resultados: Pela seleção brasileira – bicampeã sul-americana adulta (Peru – 2001 e Equador – 2003), campeã da Copa América Adulta (Brasil – 2001) e medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo (2003). Pelos clubes – campeã do Nacional (Arcor/Santo André – 1999), campeã sul-americana de clubes (Arcor/Santo André – 1999) e vice-campeã do Nacional (Arcor/Santo André – 2000
)



 Escrito por Vivian basket às 08h56
[] [envie esta mensagem]



Vivian Cristina Lopes, aluna do Unia, é medalha de bronze em Santo Domingo



 

Vivian Cristina Lopes, aluna do curso de Gestão de Negócios e Empreendedorismo, integrante da equipe Brasileira de Basquete Feminino, nos jogos Pan-americanos de Santo Domingo, medalha de bronze (se não fosse nossos "amigos" da mesa de controle, que creditaram "1 ponto fantasma" para as americanas na fase semi-final). O uni-a está orgulhoso de sua participação, sempre com muita garra, marca registrada desta jogadora, que também faz parte de nossa equipe Campeã Paulista Universitária série prata de 2003. Para nós, do Núcleo Esportivo Uni-a, você é medalha de ouro.





 Escrito por Vivian basket às 08h50
[] [envie esta mensagem]



MUSA DO BASQUETE: Vivian comemora a superação da lesão no joelho

> dataPost = ""; if (dataPost != "") {document.write("");} else {document.write(""); }


Quando disputou os jogos de Santo Domingos pelo Pan, Vivian fez uma cesta do meio da quadra no último segundo do primeiro tempo. Essa cesta teve um gostinho especial para Vivian, ala da Seleção Brasileira de Basquete.  Depois de passar por seis cirurgias nos joelhos, três em cada um, a jogadora só tem motivos para comemorar. Vivian sofreu a primeira cirurgia quando ainda tinha 14 anos, jogava no mirim. Mas a força de vontade da Musa do basquete supera qualquer obstáculo. Vivian já operou cartilagem, ligamento cruzado, menisco e uma pequena fratura.
"Tenho que vibrar muito por tudo que já passei na vida, pois não achava que iria voltar a jogar" diz Vivian










 Escrito por Vivian basket às 08h50
[] [envie esta mensagem]



[ ver mensagens anteriores ]